dolores orange

É estudante de artes visuais na Escola Guignard (UEMG), em Belo Horizonte. Depois de uma longa trajetória no mundo da literatura e do ensino de língua materna, tem se dedicado a explorar as possibilidades de interação entre cores, formas e texturas na pintura, usando pastéis, tinta óleo e acrílica. Além disso, tem se especializado como retratista na fotografia.

Os dias estão todos ocupados

A obra Os dias estão todos ocupados é uma série que se iniciou na pandemia. Entre agosto de 2020 e início de maio de 2021, fiquei sem casa. Fui morar temporariamente em casas de pessoas queridas, mas, nesses espaços, não me sentia à vontade para pintar com óleo ou tinta acrílica, meios que vinha pesquisando até então. Os pastéis aquareláveis e oleosos, por isso, se tornaram a minha única companhia artística porque era possível seguir praticando o desenho apesar de todas as minhas limitações de espaço físico. Esse exercício se tornou também um meio para incorporar o erro com mais facilidade, desenhar com a mão livre, experimentar formas mais orgânicas e testar as interações entre as cores, em especial, as saturadas. Pude também me aproximar da lógica do desenho infantil. Essa nova fase me permitiu deixar de encarar minha pesquisa com os pastéis apenas como desenho de estudo e passei a vê-la como um trabalho de pintura. Hoje, a série Os dias estão todos ocupados tenta questionar os padrões do que é considerado ocupar um dia produtivamente e reflete uma vontade por ter os dias (principalmente os pandêmicos) ocupados de forma mais colorida, livre e orgânica. 

dolores.jpeg